fotos: Arthur Amaral

Nascida em Brasília (DF), trabalha desde 1993 como atriz-pesquisadora do LUME, onde desenvolve pesquisas na codificação, sistematização e teatralização de técnicas corpóreas e vocais não-interpretativas do ator.

É doutora e mestre pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com a tese “Alphonsus de Guimaraens: Reconstruções da Memória e Recriações no Corpo” e a dissertação “Tal Qual Apanhei do Pé – uma atriz do LUME em pesquisa”, respectivamente, sob orientação da Profa. Dra. Suzi Frankl Sperber.

Como atriz, participa nos seguintes espetáculos do LUME: “Parada de Rua” (desde 1995), dirigido por Kai Bredholt; “Café com Queijo” (desde 1999), direção coletiva; “Um Dia...” (desde 2000), com direção de Naomi Silman; “Shi-Zen, 7 Cuias” (desde 2004), dirigido por Tadashi Endo; “O que seria de nós sem as coisas que não existem” (desde 2006), dirigido por Norberto Presta e “Os Bem Intencionados” (desde 2012), dirigido por Grace Passo.

Também atuou nos seguintes espetáculos fora de repertório do LUME: “Taucoauaa Panhé Mondo Pé” (1993), “Contadores de Estórias” (1995 a 1997), “Anoné” (1995), “Mixórdia em Marcha-Ré Menor” (1996 e 1997) e “Afastem-se Vacas que a Vida é Curta” (1997).

Orientou e participou da criação do espetáculo “Melhor que Chocolate” (2006), do Grupo de Pesquisa Teatral TAO (GPT-TAO), de Campinas; e dirigiu, em parceria com Jesser de Souza, o concerto musical Espelho (2006), do Grupo Anima de Campinas; e o espetáculo “Teus Passos, Teus Guia” (2008), do Grupo EngasgaGato, de Ribeirão Preto.

Nos últimos anos, vem realizando intercâmbios técnicos internacionais com pesquisadores e grupos, entre os principais a japonesa Natsu Nakajima (1995 e 1996) sobre a dança butô; a canadense Sue Morrison (1999), que realiza pesquisa de “Clown Através da Máscara”; o dinamarquês e ator do Odin Teatret Kai Bredholt (1995 e 2002), no projeto “Música e Teatro de Rua – teatralização de espaços não convencionais”; a japonesa Anzu Furukawa (1997), no projeto “Mímesis Corpórea e a Poesia do Cotidiano”; o japonês Tadashi Endo (desde 2002, ainda em continuidade) sobre a dança butô; e o ítalo-argentino Norberto Presta (desde 2004, ainda em continuidade), sobre a organicidade do ator na construção da dramaturgia.

É colaboradora permanente da Revista do LUME, tendo três artigos publicados: ”Lume e Anzu: Um Intercâmbio”, “Mímesis Corpórea – o Primeiro passo”, e “Um Dia... – Um Passo Adiante”. É autora do livro “Tal qual apanhei do pé” lançado em 2006.

> Email: raquel@lumeteatro.com.br